LinkedIn se desculpa pelo vazamento de mais de 6 milhões de senhas de usuários

Na última terça-feira (5), profissionais de segurança descobriram documentos com cerca de 6,4 milhões de senhas codificadas. Os especialistas divulgaram a suspeita de que as senhas eram de usuários da rede social LinkedIn, já que algumas senhas incluíam a palavra “linkedin”.

O LinkedIn confirmou na quarta-feira (6) que 6,5 milhões as senhas de usuários da rede foram publicadas em sites nos quais hackers frequentemente trocam informações roubadas.

Segundo a companhia, a maioria das senhas foi publicada ainda codificada, mas infelizmente algumas foram publicadas decodificadas. “É importante saber que as senhas comprometidas não foram publicadas com os logins de e-mail correspondentes”, avisa. E informa: “Não temos recebido relatórios de acesso não autorizado à conta de qualquer membro, como resultado deste evento”. Ainda assim, analistas disseram que é provável que os hackers que roubaram as senhas também tenham os endereços de e-mails correspondentes e poderiam acessar suas contas.

O que os usuários com senhas comprometidas devem fazer?

Informações oficias, publicadas pelo LinkedIn

  1. Os membros que têm contas associadas com as senhas comprometidas notarão que sua senha da conta do LinkedIn não será mais válida.
  2. Esses membros receberão um e-mail do LinkedIn com instruções sobre como redefinir suas senhas. Não haverá quaisquer links neste e-mail. Após seguir as etapas indicadas no e-mail, o usuário receberá outro e-mail do LinkedIn com um link de redefinição de senha.
  3. Os membros afetados receberão ainda um e-mail da equipe de Suporte ao Cliente do LinkedIn informando sobre a situação e esclarecendo por que eles estão sendo solicitados a alterar suas senhas.

Como medida de precaução, o LinkedIn está desativando as senhas de outros membros que poderiam ser afetados. Esses membros também estão sendo contatados pelo LinkedIn com instruções sobre como redefinir suas senhas.

Desde a confirmação do vazamento das senhas, o LinkedIn pede desculpas aos usuários por meio de posts em seu blog oficial. “Pedimos sinceras desculpas por qualquer inconveniente que isso possa ter caudado aos nossos membros. Nós levamos a segurança dos nossos membros muito a sério”. A companhia afirma que está trabalhando ativamente com a aplicação da lei, em colaboração com o FBI e mantêm total clareza ao noticiar as providencias que estão sendo tomadas.

O LinkedIn aconselha aos usuários:

  1. Atualize periodicamente suas senhas no LinkedIn e em qualquer site na web
  2. Não utilize a mesma senha para vários sites ou contas
  3. Crie senhas fortes Saiba mais sobre senhas fortes
  4. Tome cuidado com e-mails de spam solicitando informações confidenciais

Leia também “Após LinkedIn e eHarmony, Last.fm apura vazamento de dados”

Como está a Segurança Digital da sua empresa?

Converse com nossos especialistas.