Entenda a diferença entre gerenciamento de ameaças e de vulnerabilidades

A gestão de vulnerabilidades é uma preocupação crescente dentro das empresas. Falhas de segurança são uma causa constante de paralisações no negócio, gerando grandes perdas devido ao downtime e de ataques cibernéticos que causam milhões em perdas de dados de clientes, funcionários e parceiros. No entanto, o gerenciamento de ameaças também é importante para garantir uma estratégia eficiente de segurança da informação.

O termo vulnerabilidade é extremamente abrangente, porém, controlar vulnerabilidades não é o mesmo que garantir a gestão de ameaças. As vulnerabilidades são falhas de segurança na infraestrutura que permitem que os ataques sejam bem-sucedidos, enquanto as ameaças correspondem à origem ou à intenção de executar um ataque.

Enquanto a gestão de falhas de segurança inclui um processo contínuo de identificação de vulnerabilidades que deve fornecer aos profissionais de segurança da TI informações para que possam responder efetivamente a cada uma delas antes que um ataque ocorra, o gerenciamento de ameaças é feito por meio da definição de perfis de ameaças – que podem ser estabelecidos com o auxílio de testes de invasão.

Ambos os processos são essenciais para que as empresas avaliem riscos corporativos de maneira apropriada e estabeleçam os controles mais adequados para mitigá-los. Com sistemas de gerenciamento de ameaças e vulnerabilidades executados em harmonia, é possível reduzir consideravelmente a exposição da rede a ataques, garantindo mais segurança e disponibilidade, evitando os prejuízos causados pelos ataques cibernéticos.

O que deve haver no seu framework?

Um gerenciamento de ameaças efetivo deve dar à empresa a capacidade de identificar ameaças capazes de causar problemas de produtividade ou perdas de recursos corporativos. É essencial que as organizações sejam capazes de avaliar os riscos que uma ameaça apresenta ao negócio e, para isso, é preciso contar com controles que forneçam as informações necessárias para que as equipes afetadas tomem as melhores decisões na hora de executar uma resposta.

Para isso, é essencial que o gerenciamento de ameaças inclua softwares que permitam dar prioridade e utilizar os recursos de segurança nos locais e nos momentos em que há maior necessidade para reduzir as chances de dano à empresa.

Por que gerir vulnerabilidades não basta?

O framework para gerir vulnerabilidades permite apenas que a empresa estabeleça uma frequência apropriada para detectar falhas de segurança, atribua o nível correto de criticidade de acordo com os riscos oferecidos ao negócio e relacione de maneira apropriada os recursos disponíveis para corrigir o problema adequadamente.

Atualmente, os sistemas de informação modernos geram um ambiente extremamente complexo, gerando redes multifacetadas com múltiplos dispositivos e aplicações. Diante desse cenário, é praticamente impossível identificar e remediar todas as vulnerabilidades, mesmo que a organização conte com uma ampla equipe de segurança.

O gerenciamento de ameaças é essencial para lidar com as ameaças que surgem ao longo do tempo, bem como sua capacidade de testar os mecanismos de defesa da empresa.

Quer validar sua estratégia para gerenciar ameaças? Os testes de invasão são as melhores maneiras de fazer isso. Os testes de invasão da iBLISS são executados por profissionais altamente qualificados que se mantêm atualizados de todas as metodologias e usa como referência padrões do mercado.

Como está a Segurança Digital da sua empresa?

Converse com nossos especialistas.