Brasileiros se protegem mais na internet

*Repassando post de Decision Report, 07/02/2012

No Dia Mundial da Internet Segura, a Microsoft divulgou os resultados de uma pesquisa encomendada pelo Trustworthy Computing Group (TwC) que mede como os usuários de Internet  têm enfrentado os desafios do mundo digital atual. O estudo chamado de Índice de Segurança da Computação da Microsoft (MCSI) foi conduzido em cinco países (Alemanha, Brasil, EUA, França e Reino Unido) e procura entender o comportamento e a adoção de ferramentas de segurança.

Segundo a pesquisa, em 2011, a pontuação média dos países estudados foi de 34 – com o Brasil alcançando o índice mais alto, de 40 pontos, e França com o índice mais baixo, de 27 pontos, o que não revela quão seguros os brasileiros estão, mas aponta que eles são os internautas que tomam mais medidas para garantir  a segurança e privacidade online.

O estudo indica que o Brasil apresentou o maior nível de preocupação quanto à segurança e privacidade na Internet. Pode ser esse o motivo de possuir a pontuação MCSI mais alta entre os cinco países analisados. Este nível de preocupação foi provavelmente estimulado pela alta incidência de invasões da segurança e privacidade.

Como resultado, existe uma forte necessidade não atendida de oferecer melhores ferramentas para gerenciar a segurança e a privacidade no País. Os brasileiros acreditam que a responsabilidade primária de proteger os consumidores na web é das empresas que fazem negócios online e não deles mesmos, o que é mais comum em outros países. Outra questão que coloca o País em um nível maior de risco de violações de segurança e privacidade é que os brasileiros tendem a ser um dos primeiros a adotarem novas tecnologias bem como a fazerem parte de novas redes sociais.

Outros resultados apontam que, nos últimos 12 meses 74% dos internautas reportaram a infecção de vírus em e-mail (média dos 5 países = 43%); 64% estão preocupados com a sua reputação online (média dos 5 países = 32%); 55% reportaram roubo de identidade (média dos 5 países = 28%); 84% desejavam possuir melhores ferramentas para proteger sua privacidade e segurança; 40% dizem que as empresas com presença na Web deveriam ser as principais responsáveis pela proteção da sua privacidade e segurança. Esta é a segunda pontuação mais alta comparada com a França (47%).

O Brasil possui o mais intenso uso de rede social (84%), de serviços de localização (55%) e de acesso e registros médicos online (25%) entre os países analisados. O Índice é considerado um veículo para encorajar ainda mais os internautas e suas famílias a tomarem medidas que ajudem a preservar a segurança de suas interações digitais. A Microsoft planeja apresentar o Índice anualmente.

Como está a Segurança Digital da sua empresa?

Converse com nossos especialistas.