Aplicativos inteligentes serão parte integrante da cibersegurança

Os aplicativos inteligentes são uma forte tendência para o ano de 2017, segundo previsões do Gartner, que fez uma lista de 10 tecnologias mais estratégicas para o próximo ano. Essa tecnologia vai muito além das assistentes virtuais como a Siri, da Apple, e a Cortana, da Microsoft. Os aplicativos inteligentes são todos aqueles que podem receber capacidades de inteligência artificial.

Os aplicativos inteligentes têm potencial para transformar o local de trabalho, tornando tarefas diárias, como a priorização de e-mails, mais fáceis e rápidas, e usuários mais produtivos, destacando conteúdos e interações importantes, por exemplo.

A tendência é que os fornecedores foquem em três áreas para oferecer aplicações inteligentes: analytics avançado, capacidade de inteligência artificial e processos de negócio mais autônomos, e capacidades de inteligência artificial imersiva e interfaces contínuas.

Para o vice-presidente do Gartner David Cearley, nos próximos 10 anos, cada aplicativo, aplicação e serviço vai incorporar algum nível de inteligência artificial. “Isso deve criar uma tendência a longo prazo que vai evoluir e expandir de maneira contínua as soluções de inteligência artificial e aprendizado de máquina para aplicações e serviços”, afirma.

O Gartner prevê que, até 2018, a maioria das 200 maiores empresas explore aplicativos inteligentes e utilize ferramentas de big data e analytics para refinar suas ofertas e melhorar a experiência do cliente.

Entenda os impactos na cibersegurança

A cibersegurança é uma das indústrias que mais pode se beneficiar do avanço da inteligência artificial e dos aplicativos inteligentes. Máquinas inteligentes podem implementar algoritmos capazes de identificar ameaças cibernéticas em tempo real e oferecer respostas instantâneas.

A maioria das empresas de segurança já está trabalhando em uma nova geração de sistemas automatizados com alguma capacidade de aprendizado de máquina ou inteligência. O objetivo é proteger um número cada vez maior de dispositivos que estão sempre online e compartilham uma quantidade crescente de dados com a rede.

Alguns dos algoritmos usados pela nova geração de soluções de segurança simulam o cérebro humano, amplificando suas capacidades por meio de uma colaboração instantânea de uma rede de sistemas inteligentes.

Imagine um cenário em que bilhões de dispositivos de Internet das Coisas são o alvo. A única maneira de operar em tempo real para mitigar esse tipo de ação em larga escala é obter máquinas automatizadas capazes de detectar ataques cibernéticos em um estágio precoce. O maior obstáculo, no entanto, é a quantidade de dados de diferentes plataformas e formatos, que pode dificultar ainda mais a gestão de vulnerabilidades nas empresas.

Facilite a gestão de múltiplas plataformas de segurança

Para facilitar a gestão de múltiplas plataformas de segurança inteligentes, as empresas terão de adotar uma abordagem integrada. Isso pode ser feito com a implementação de softwares capazes de fazer esse tipo de integração.

O GAT, uma plataforma única desenvolvida no Brasil, oferece gestão de vulnerabilidades de forma integrada, fornecendo uma visão real do grau de exposição do seu ambiente de TI. A plataforma facilita a melhoria contínua da segurança e ajuda a definir planos de ação com base na criticidade das falhas de segurança e na sensibilidade dos ativos. Saiba mais sobre como o GAT ajuda a criar um processo de gestão de vulnerabilidades efetivo.

Como está a Segurança Digital da sua empresa?

Converse com nossos especialistas.